JURA EM PROSA E VERSO

 

POESIAS E TROVAS POPULARES

 

 

TROVAS LÍRICAS OU FILOSÓFICAS

 
Trovas de Eliana Jimenez

 
Líricas/Filosóficas

 

 
As paixões têm seus segredos,
profundezas intocadas,
protegidas por rochedos
em distantes enseadas.

 

 
Ser feliz eu me propus
e segui esta verdade:
quem semeia a própria luz
 
colhe sempre claridade.

 

 
Todo mal eu minimizo;
ao sorrir, espalho o bem.
Quem põe num rosto um sorriso
sorri na alma também.
 

 

 

 

 
Se sou alvo, não me oponho,
a coragem dá franquia.
Quem na vida tem um sonho,
faz dos dardos fantasia.
 

 

 

 

 
Em versos de mil facetas
eu componho o meu intento:
com rede de borboletas
caço palavras ao vento.
 

 

 

 

 
Rios sujos, aviltados,
uma floresta abatida
mostram falta de cuidados
com a nossa própria vida.
 

 

 

 

 
Sem ação, ensinamento,
obra alguma a ser lembrada,
quem passou tal qual o vento
só viveu, não deixou nada.

 

 
 
Nas grandes tramas de amor,

 
o livro é ponte, em verdade,
que liga o autor ao leitor
em doce cumplicidade.

 

 

 
Se a vida me põe à prova,
eu aceito o desafio:
do infortúnio faço trova
e a tristeza ludibrio.

 

 
 
Humorísticas

 

 
Na vida e no galinheiro
o machão já entrou na linha;
lá do alto do poleiro
canta de galo... a galinha.

 

 
Vida boa, de ricaça,
passa o dia enchendo o bucho:
morar em sebo, pra traça,
é condomínio de luxo.

 

 
 
Uso o wi-fi do meu vizinho.

 
Sou esperto, uma raposa;
senha fácil... coitadinho:
é o nome da minha esposa!