JURA EM PROSA E VERSO

CONTOS ERÓTICOS

 

Comi a bucetinha da minha irmã safada

Renata Martins

 

 

 

Este é o meu terceiro conto e acreditem, os três realmente aconteceram, depois de muito tempo olhando minha irmã gostosa transando com o namorado delicioso dela, eu finalmente consegui fazer ele me comer todinha e comer a bucetinha da minha irmã! Realizei os meus dois maiores feitiches… Hoje vou contar para vocês como eu fiz para comer a cadela que chamo de irmãzinha.

Larissa é a minha irmã de 26 anos, ela tem 1.68m,  é loira, seios fartos, bunda média e bem empinadinha e uma bucetinha suculenta, meu nome é Renata, tenho 23 anos, 1.51 cm , seios médios e firmes, uma bunda enorme, coxas grossas e cabelo castanho. Eu e minha irmã sempre fomos muito safadas, mas nunca tínhamos tido uma experiência juntas, tudo começou no dia em que eu pedi para ela me acompanhar em uma baladinha GLS, ela e o Pedrão (meu cunhado gostoso) haviam brigado, eu estava mais deprimida do que nunca, precisando trepar desesperadamente, minha irmã sempre soube da minha bissexualidade então seria a companhia perfeita, eu disse pra ela ir só para me acompanhar (na verdade eu já pretendia fazer dela a minha refeição) e ela como boa irmã que era foi comigo, na festa bebemos muito, não fiquei com ninguém e nem ela, depois de quatro horas bebendo e dançando feito loucas ela se soltou, subiu no palco onde tinha um daqueles paus de poli dance e dançou, arrancando peças de roupa, a cada peça que ela tirava eu ficava mais excitada e também com ciumes dos olhares, percebi o porre tinha tomado conta, então coloquei ela no meu carro para levar pra casa, ela entrou no carro só de calcinha e sutiã, eu estava vestindo um vestido preto de tubinho, daqueles bem colados com um decote, enquanto eu dirigia ela acabou pegando no sono e eu não conseguia desviar os olhos daquela bucetinha, chegamos em casa e como meus pais tinham ido viajar deitei ela na cama de casal dos dois e resolvi que íamos passar a noite por ali.

Não resisti a tentação e comecei a beijar a boca dela, minhas mãos desceram para dentro da calcinha e senti a buceta dela encharcada, então olhei para o rosto dela e ela estava de olhos abertos e retribuiu o meu beijo, tão quente e selvagem que eu parei de pensar, não sabia se ela tinha consciência de que era eu, mas o tesão estava enorme e amanhã eu pensaria nisso, subi pra cima dela e arranquei aquele sutiã, abocanhei aqueles peitos gigantes chupando como um recém nascido faria, ela gemia baixinho e aquilo me excitava cada vez mais, então ela colocou a mão dentro da minha calcinha e começou a enfiar os dedinhos lá dentro, eu me movia com força sob aqueles dedos enquanto beijava o pescoço e a boca dela, foi então que aquela cadela desceu em direção a minha buceta e começou a me chupar, deliciosamente, com a linguá frenética em cima do meu grelo, os dedos entrando e saindo de dentro de mim, a sensação era desesperadora, propus uma meia nove, mas ela nem me ouvia, continuava me chupando, eu estava tão excitada que gozei na boca dela.

Então foi a minha vez de retribuir, arregacei as pernas dela e enfiei a minha linguá, foi masturbando aquele grelinho enquanto chupava a sua bucetinha, ela gemia alto e gritava para mim não parar, foi então que lembrei de um brinquedinho que eu tinha no quarto, pedi para ela esperar e fui até lá buscar, meu vibrador tamanho 28cm, voltei a chupar aquela bucetinha e dessa vez usei o meu amiguinho sem dó, arregaçando a buceta dela, ela se contorcia de tesão e também me gozou.

Eu ainda estava excitada e ela também, o tesão se multiplicou com os gozos, então começamos a roçar as bucetinhas uma na outra, e eu pedi pra ela pra comer aquele cuzinho, coloquei ela de quatro e iniciei um beijo grego, lambi e chupei aquele cu com vontade, lubriquei meus dedos naquele buceta e comecei a socar tudo no cuzinho dela, ela gemia e sentava gostoso em cima deles pedindo mais, então peguei de novo o vibrador e fui arrombando aquele cu, ela sentava com força, segurei aqueles cabelos e batia na bunda gostosa dela, chamando de minha putinha, ela estava louca de tesão e pediu para mim chupar ela de novo, eu como uma boa irmãzinha, chupei gostoso, estávamos em um 69, trocando chupadas, quando ela pegou o vibrador e começou a socar alternando entre a buceta e meu cuzinho, depois foi a minha vez de fazer o mesmo, ficamos assim até gozarmos novamente.

Meus pais sempre disseram para a minha irmã cuidar de mim, a putinha cuidava direitinho, depois daquele dia, amei ficar sob os cuidados dela, sempre que podemos damos uma escapadinha.

Gostou desse conto erótico?