MitologiaTanquinhense-Boitatá

JURA EM PROSA E VERSO

MITOLOGIA TANQUINHENSE

A LENDA DO BOITATÁ (o pai de todos os Deuses)

Todos os lugares do mundo têm a sua história. Essa história, transmitida de geração a geração, de boca a boca, povoa o folclore  e as crenças das pessoas.

É claro que Tanquinho-Bahia (a capital do mundo) não poderia ser diferente. Hoje persiste na população a crença milenar nos diversos deuses que, no passado, foram os responsáveis pelo espetacular e meteórico desenvolvimento deste recanto paradisíaco.

A LENDA DO BOITATÁ (o filho do Boitotó e pai de todos os Deuses do Folclore Tanquinhense)

Consta a lenda que há milhares de anos, quando nada deste esplendor que hoje existe, existia, quando ainda, lá por aquelas plagas, viajávamos com a família voando através dos cipós, de galho em galho, e assim percorríamos distâncias infinitas, um dia um tanquinhense ainda filhote, o Zé, filho de um dos chefes tribais, viu-se diante de um poderoso monstro que ameaçava devora-lo, como aperitivo.

Este jovem herói Tanquinhense, antepassado do Jura em Prosa e Verso, encarou a hedionda fera com bravura e mostrou-lhe seu badogue, municiado com uma pedra redonda do rio, incrível arma que seu pai lhe dera para caçar passarinhos. É claro que isto fez com que a fera tivesse uma crise de riso, e escancarasse a bocarra, já salivando, antecipando o gostosíssimo banquete.

Nesse momento apareceu um boi colorido, gigante, que atacou a fera com seus chifres, e com incrível mobilidade pulou sobre o monstro estrangulando-o com suas pernas. Todos os tanquinhense que acompanhavam o Zé, e já o tinham como perdido, desceram de suas árvores onde tinham se escondido e se ajoelharam diante do misterioso boi, que lhes disse:

– MEUS FILHOS – falou o boi – FUI MANDADO POR MEU PAI, O GRANDE BOITOTÓ, PARA SALVAR ESTE JOVEM, E INICIAR AQUI E AGORA, COM VOCÊS, UMA DINASTIA. NOSSO DESEJO É QUE O ZÉ SEJA O PRIMEIRO GRANDE LIDER DE TODOS VOCÊS, E COM A MINHA AJUDA CONSIGA ORGANIZAR TODOS OS QUE HOJE VIVEM DE GALHO EM GALHO, E QUE AQUI EXISTE AOS MILHARES, E INICIAR O CONVÍVIO DE UMA SOCIEDADE HARMONIOSA, PROGRESSISTA E FELIZ.

Os tanquinhense ali ajoelhados resolveram denominar o grande deus de BOITATÁ, o filho do grandioso Boitotó. Agradecidos ao grande BOITATÁ, e revigorados, levantaram-se e partiram para aglutinar as centenas de pequenas comunidades que por ali viviam, de galho em galho, reunindo-os, dando-lhes a esperança de um dia se tornarem fortes e unidos.

E FOI ASSIM QUE NASCEU TANQUINHO-Bahia (a atual Capital do Mundo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *