MEU PRIMO JURA, O GOSTOSÃO

JURA EM PROSA E VERSO

 

CONTOS ERÓTICOS

 

 

Meu primo Jura, o gostosão

 

 

 

Oi! Meu nome é LUCIANA e o que vou contar como aconteceu, quando meu primo,  Jura em Prosa e Verso, me fudeu.

Meu primo é  forte, 1,70m de altura, um pau grosso de 22 cm, e muito duro.

Eu, como sempre, gordinha, peituda, uma bunda bem gostosa, redondinha, durinha,  a bucetinha e o cuzinho apertadinhos, pelo menos até hoje.

Hoje  sou uma balzaquiana de mais de trinta anos, mas na época eu era quatorze anos mais nova.

Meu primo veio da Bahia, para morar em minha cidade.

Eu, que já era safadinha, começava a pensar besteirinhas, quando via aquele primão na minha frente.

Minha família era evangélica, e frequentava todos os cultos, mas como meu primo estava conosco, eu passei a ir menos à igreja, as vezes ficava em casa para ficar conversando com ele.

Botavamos para tocar, depois que minha família saía para a igreja, uns funks, e começávamos a rebolar até o chão, e eu dançava rebolando e esfregando a bunda no pau dele.

Um dia ele me perguntou se eu já tinha transado com alguém, e eu, na hora, disse que sim, que não era mais criancinha inocente, e que quando tinha oportunidade transava, sem compromisso, com algum garoto da região.

O meu primão, Jura em Prosa e Verso, me pegou, tirou minha blusa na sala mesmo, em seguida tirou também minha calcinha e já caiu de boca na minha buceta lisinha.

E eu, garotinha experiente, chupando o pau dele.

Assim ficamos por algum tempo até nós gozarmos gostoso e eu tomar toda a porra dele.

Depois disso, ficamos alguns dias sem ter oportunidade de ficarmos sozinhos, até que um dia minha mãe foi pra igreja, meu pai estava no trabalho e nós ficamos a sós em casa.

Tão logo fiquei sozinha com  meu primo Jura, eu o abracei e disse:

– Me fode bem gostoso, primo, hoje eu quero tudo.

Tomei a iniciativa, avancei contra meu primo, desabotoei seu calção e caí de boca naquele pau gostoso, mandando ver até que ele ficasse bem durinho. Então sentei naquele pauzão e fiquei rebolando sem parar até entrar tudo.

Fiquei num vai e vem sem parar, e ficamos repetindo isso até meu primo Jura gozar dentro da minha buceta.

Como o pau dele ainda estava duro, ele foi para a sala, sentou no nosso sofá e pediu para comer meu cuzinho.

É lógico que eu deixei, e fui sentando, virada de costas para ele. Rapaz, que sensação! Na verdade nunca tinha tomado no cu, e não sabia que das primeiras vezes doía tanto.

O pau foi entrando devagarinho, aos poucos, rasgando meu cu, mas eu estava sentido dor e gostando daquilo.

Colaborei, e comecei a cavalga-lo sem parar, com o cu atolado por aquela tora. Cada descida e cada subida parecia que me rasgava mais, cada vez mais gostoso, eu estava adorando.

Ele me deixou louca de desejo, e enquanto fodia meu cu, apertava meus seios e me chamava de putinha, cachorra, safada. Esse tratamento me deixava ainda mais louca de tesão dele.

É claro que após algum tempo ele acabou gozando no meu cu. Alguns minutos depois, e alguns amassos, eu fui pro banheiro tomar banho, e demorou ainda mais um pouco até minha mãe retornar da igreja.

É claro que fingimos que nada tinha acontecido e ficamos como dois anjinhos assistindo filmes infantis na televisão, sem falar nada um pro outro.

Nossa vida tomou rumos diferentes, ele teve que viajar no dia seguinte, e só 14 anos depois voltamos a nos encontrar e fuder de novo… Mas isso… é outra história… que fica para outro conto.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *